Associação Budokai Shotokai de Portugal

Representante Oficial da Nihon Karate Do Shoto-kai

DOJO

O Dojo, esse espaço mítico, cujas portas o neófito transpõe deslumbrado e no qual deposita um mar de esperanças e a justa expectativa de nele alcançar grandes e, por vezes, ambiciosos objectivos. Mas, quantas vezes, ao transpor essas portas o faz com ligeireza e por vezes esquecendo a reverencia e o respeito devido ao local que efusivamente o acolhe.

O Dojo é um espaço separado, orientado, não profano e, portanto, sagrado. Como o seu nome indica o Dojo é o lugar onde se pratica a Via, que se percorre respeitando o Princípio.

Com efeito, o Dojo não é um mero território desportivo onde os praticantes disputam o fulgor passageiro duma aparente vitória, sobre um opositor de ocasião, neste caso estaremos a falar dum estádio, ou duma casa de espectáculos.

O Dojo é um espaço separado do mundo por barreiras visíveis e aceites como fronteiras pelos praticantes assim como pelos outros (Os visitantes são geralmente admitidos no Dojo, mas devem submeter-se às suas regras). É um lugar orientado, que determina pela sua própria forma uma ordem tirada do caos, para organizar a desordem exterior, de forma a favorecer a realização da ordem interior.

O lado onde se colocam os professores é chamado Kamiza, local sede das divindades, onde está geralmente colocado um altar dedicado aos ancestrais ou divindades: Kamidana, e onde se colocam, nos modernos Dojo, as fotografias dos mestres venerados, já falecidos: os Daí ou O Sensei.

Teoricamente as mais altas graduações colocam-se à esquerda do Kamiza e as graduações inferiores à direita, o mestre do dojo coloca-se junto do Kamidana em posição Mokuso.

Portanto, uma kata deverá ser executada neste sentido, isto é, face aos Joseki (Joza é o local superior) o que não impede "estudar" uma kata em todos os sentidos e em todas as direcções. O importante é realçar que há locais que correspondem a graus, a graduações e a estados.

É no Dojo que se constrói, a cada momento de treino e de estudo, a relação que une, através de Budo, o Senpai e o Johai. Quando alguém se inicia num dojo, todos aqueles que o precederam tornam-se os seus Senpai. Todos aqueles que virão depois serão os seus Kohai. E desta forma tudo se manterá imutavelmente, quaisquer que sejam as idades, as classes sociais de origem ou as graduações obtidas noutro dojo. O Senpai é aquele que ajuda o neófito, que o estimula quando este está preguiçoso e que o aconselha.

No fundo, a cortesia, a humildade e a reverência necessárias para se frequentar o Dojo, são os mesmos atributos com que se deve estar na vida, ensinamentos do fundador do moderno Karate: Mestre Gichin Funakoshi.



1- Não podemos aplicar com inteiro rigor o sentido e a regra deste texto, quando o local onde se realiza a prática não tem esta exclusiva finalidade e, portanto, não preenche, na totalidade, os requisitos físicos e formais dum verdadeiro Dojo. Contudo, para o estudante consciente do Sentimento da Arte que pratica, mesmo em precárias condições, o local onde desenvolve o estudo, preenche na realidade todas as funções inerentes a um verdadeiro Dojo.



Armando Pinto (3°Dan Shotokai)